Publicidade

Acompanhe o monitoramento do Açude de Bom Jesus II de Água Branca - PB - 58 dos 124 açudes monitorados pela Aesa estão em situação crítica


acudeFoto: Reprodução/Internet
Apesar das chuvas que ocorreram na Paraíba durante o mês de janeiro, os açudes monitorados pelo Governo do Estado não receberam recargas significativas.
De acordo com a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa), dos 124 reservatórios, 58 estão com menos de 5% do volume total.
Outros 35 açudes têm menos 20% da capacidade máxima, 31 possuem mais de 20% e não há reservatórios sangrando.
“Algumas pessoas ficaram com a impressão que as chuvas de janeiro trouxeram grandes recargas, o que não aconteceu, já que as precipitações foram bastante irregulares. Em muitos açudes a situação ainda é crítica, por isso precisamos manter o foco no uso consciente, priorizando o abastecimento humano e animal”, alertou o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva.
Segundo o gerente de Monitoramento e Hidrometria, Alexandre Magno, o período de chuvas no semiárido paraibano começou neste mês e se estendo até maio.
“Janeiro não costuma ser um mês de recargas significativas dos açudes. A partir de fevereiro, gradualmente, as chuvas devem ficar mais regulares no Sertão. Não tivemos registros de precipitações significativas nestes primeiros dez dias, esperamos que ocorram a partir da segunda quinzena”, informou, destacando que as maiores chuvas do mês foram registradas em Patos: 73,4 milímetros.
A relação completa das cidades onde mais choveu e o nível dos 124 açudes monitorados pela Aesa estão disponíveis no site www.aesa.pb.gov.br.
Na página eletrônica também é possível conferir a previsão do tempo em todo o Estado, solicitar licenças para uso da água e fazer o cadastramento de carros-pipa.
FONTE: Da Redação com Secom/PB

VEJA A SITUAÇÃO DO VALE DO PIANCÓ ONDE O AÇUDE DO BOM JESUS DE ÁGUA BRANCA-PB PERTENCE
Piancó

Agua Branca Bom Jesus II
14.174.382
.5316.141
10,8
Aguiar Frutuoso II
3.517.220
443.020
12,6
Boa Ventura Riacho Verde
1.256.250
200.319
16,0
Catingueira Cachoeira dos Cegos
71.887.047
13.673.436
19,0
Conceição Condado
35.016.000
6.459.100
18,4
Conceição Serra Vermelha I
11.801.173
789.454
6,7
Conceição Video
6.040.264
688.838
11,4
Coremas Canal da Redenção (Vazão l/s)
3.000
300
10,0
Coremas Coremas
591.646.222
57.522.448
9,7
Coremas Mãe dÁgua
567.999.136
78.577.450
13,8
Curral Velho Bruscas
38.206.463
8.842.444
23,1
Diamante Vazante
9.091.200
3.300.996
36,3
Emas Emas
2.013.750
810.419
40,2
Ibiara Piranhas
25.696.200
5.462.907
21,3
Igaracy Cochos
4.199.773
1.239.200
29,5
Imaculada Albino
1.833.955
156.580
8,5
Itaporanga Cachoeira dos Alves
10.611.196
176.826
1,7
Juru Glória
1.349.980
545.266
40,4
Juru Timbaúba
15.438.572
2.006.584
13,0
Manaíra Catolé I
10.500.000
6.687.859
63,7
Nova Olinda Saco
97.488.089
22.207.717
22,8
Olho dÁgua Jenipapeiro (Buiú)
70.757.250
12.526.940
17,7
Princesa Isabel Jatobá II
6.487.200
5.400
0,1
Santa Inês Santa Inês
26.115.250
1.311.390
5,0
Santana de Mangueira Poço Redondo
8.931.340
4.094.318
45,8
Santana dos Garrotes Queimadas
15.625.338
5.023.579
32,2
Serra Grande Cafundó
313.680
144.280
46,0
São José de Caiana Pimenta
255.744
95.015
37,2
Tavares Novo II
706.080
373
0,0
Tavares Tavares II
9.000.000
6.229.797
69,2
 

Variação do Volume nos Últimos Meses


Variação do Volume nos Últimos Anos

 

Lei prevê multa de R$ 600 para quem contribuir para proliferação do Aedes aegypti

ParlamentoPB
Lei prevê multa de R$ 600 para quem contribuir para proliferação do Aedes aegypti
Está em vigor a Lei de nº 13.173, de autoria do vereador Lucas de Brito (DEM), que estabelece medidas de combate ao Aedes aegypti e de prevenção à microcefalia, além de multas para comerciantes, moradores ou qualquer pessoa que contribua, de alguma forma, para o surgimento de criadouros e para a proliferação do mosquito, em João Pessoa. A multa é de aproximadamente R$ 600 (seiscentos reais), dobrada em caso de reincidência.

O “Plano João Pessoa sem Microcefalia”, sugerido por Lucas de Brito (DEM), tem o objetivo de induzir, de forma articulada, contínua e abrangente, a intensificação das ações contra o Aedes Aegypti e de controle da microcefalia, no âmbito do Município de João Pessoa.

De acordo com a Lei, ações deverão ser realizadas para esclarecer e conscientizar a população sobre a importância do combate ao mosquito transmissor dos vírus da dengue, chikungunya e zika. Este último tem relação direta e comprovada com os casos de microcefalia. O Projeto também prevê a divulgação de informações sobre as formas de prevenção, transmissão, bem como os sintomas e o tratamento da microcefalia. Esse trabalho deve ser desenvolvido não só pelo poder Público, mas por toda a sociedade.

“Estamos em guerra. Os números de crianças com microcefalia e de pessoas infectadas com os vírus da dengue, chikungunya e zika só aumentam. Vivemos um estado de emergência sanitária e de saúde. Precisamos nos unir para acabar com o mosquito Aedes Aegypti”, concluiu Lucas.

Alteradas as regras de renegociação da dívida de estados e municípios

download
O Diário Oficial da União publicou hoje (11) decreto que altera a legislação sobre a indexação de contratos de refinanciamento de dívidas de estados, municípios e o Distrito Federal. Uma das mudanças põe fim à exigência da desistência de ações judiciais relativas ao endividamento para ter direito à revisão das dívidas com a União. O decreto descarta ainda autorização legislativa para a “celebração dos termos aditivos dos contratos de renegociação das dívidas”.
No fim de dezembro, o governo federal regulamentou as condições nos contratos de refinanciamento de dívidas dos estados e municípios com a União. O decreto foi publicado em edição extraordinária do Diário Oficial da União, regulamentando a Lei Complementar 148/2014, que alterou os critérios de indexação aplicáveis aos contratos.
A Frente Nacional de Prefeitos (FNP) considerou uma vitória a alteração na regulamentação da lei, que era uma das reivindicações apresentadas ao ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, e “deverá permitir aos devedores a redução em seus pagamentos futuros para a União”. A FNP lembrou que a decisão do governo federal de revogar itens publicados no decreto anterior foi tomada depois da deliberação provisória da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), em ação ajuizada pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido Popular Socialista (PPS), a partir de pedido da frente e da mobilização dos prefeitos em encontros com ministros na semana passada.
O decreto publicado hoje também revoga a exigência de cumprimento dos limites e condições relativos à realização de operações de crédito de cada ente da Federação. Para a FNP, isso significa que os aditamentos aos contratos da dívida que serão assinados não configuram novas operações de crédito.
Agência Brasil

PSB paraibano confirma realização do Encontro Estadual de Pré-candidatos

ricardo
De olho nas eleições municipais deste ano, o PSB paraibano confirmou para o próximo dia 20, em João Pessoa, a realização do Encontro Estadual de Pré-candidatos. O evento, que acontecerá a partir das 9h, no auditório do Hotel Tambaú, deverá contar com a presença do governador Ricardo Coutinho, presidente de honra do partido no Estado.
A expectativa dos dirigentes socialistas é que o evento do próximo dia 20 reúna pré-candidatos a prefeito e a vereador de todas as regiões do Estado. A legenda trabalha com a possibilidade de lançar candidatos próprio a prefeito em pelo menos 130 municípios paraibanos.
Em algumas cidades paraibanas, como Bayeux, Cajazeiras, Conde e João Pessoa, o PSB já tem definidos os nomes que participarão da disputa majoritária. Já em Campina Grande, segundo maior colégio eleitoral do Estado, o partido trabalha com a hipótese de lançar a candidatura do deputado estadual Adriano Galdino ou indicar o vice na chapa a ser encabeçada pelo deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB).
Em Bayeux e Cajazeiras, o PSB vai tentar reeleger os atuais prefeitos Expedito Pereira e Denise Oliveira, respectivamente. No Conde, a aposta do partido é a ex-secretária estadual de Educação, Márcia Lucena. Já na Capital, o nome definido pelo partido é o do secretário de Infraestrutura e Infraestrutura da Paraíba, João Azevêdo.
Fonte: Paraíba Já

A Paraíba que dorme nas ruas – Por Magno Martins

565fed82c3
O agravamento da crise nacional atingiu em cheio o Nordeste. A recessão, que provoca desemprego e fome, está levando muita gente a mendigar, a adotar as ruas como seu habitat. A Paraíba, especialmente João Pessoa, a capital, onde passei o Carnaval e constatei isso sem nenhum esforço, andando nas ruas como um turista comum, exibe cruelmente o retrato deste quadro.
Há dois anos, quando estive em João Pessoa, não vi tanta gente dormindo nas ruas, esmolando e abandonada quanto constatei agora. O Governo Federal não tem divulgado os números oficiais das desigualdades sócias no País. O último é de 2013, apontando que, após uma década de queda na miséria, o número de brasileiros em condição de extrema pobreza voltou a subir.
O País tinha 10,08 milhões de miseráveis em 2012 contra 10,45 milhões um ano depois, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O aumento é de 3,7%. O cálculo leva em conta o número de indivíduos extremamente pobres com base nas necessidades calóricas – aquelas com renda insuficiente para consumir uma cesta de alimentos com o mínimo de calorias para suprir uma pessoa de forma adequada, com base em recomendações da FAO e da OMS.
A conta estima diferentes valores para 24 regiões do País. Pesquisei que o programa Bolsa Família, que integra as ações do ‘Brasil Sem Miséria’, identificou, entre junho de 2001 a junho de 2014, 31.507 famílias em situação de extrema pobreza na Paraíba, incluídas no Cadastro Único e no Bolsa Família.
O Governo faz uma grande propaganda sobre redução de miséria no Nordeste. No caso da Paraíba, informa que desde o lançamento do programa Brasil sem Miséria, 980.821 pessoas saíram da extrema pobreza no Estado. Na prática, a situação é bem diferente. Ontem, quarta-feira de cinzas, o que encontrei no principal cartão postal de João Pessoa, o calçadão que liga as praias de Tambaú e Cabo Branco, foi digno de um filme de terror.
Homens, mulheres e crianças dormindo no chão ao lado de barracas armadas na orla ou em marquises e até em prédios públicos. São moradores de rua? Em boa parte, sim. Mas, entrevistando alguns deles, constatei também gente que perdeu emprego, que não consegue fazer mais sequer um bico, para tirar uns trocados e enganar a fome. “Perdi meu emprego, era ajudante de pedreiro, a firma quebrou e eu vim parar aqui”, disse José Alves Pereira, 41 anos, encontrado dormindo por cima de um papelão, a sua cama.
Na medida em que avançava na direção de Tambaú a Cabo Branco encontrava mais gente dormindo ao relento sem chamar a menor atenção dos ricos e abastados que faziam ali, logo cedo, a sua caminhada. Certamente, perderam a sensibilidade e a indignação. Encontrei idosos, como “seu” Antônio do Saco, morador de rua, abandonado pela família, mas o cenário em geral foi uma mistura de mendigos e desempregado jogados nas ruas pela crise.
Recentemente, também na Paraíba, me chamou a atenção o caso de uma família carente da cidade de Alagoa Grande, no Sertão. O líder da família havia se matado por não aguentar as cobranças de dívidas, principalmente para compra de alimentos. A viúva Arlinda Bento Tomáz, 32 anos, mãe de sete filhos, ficou sozinha para cuidar dos filhos.
No desespero, viu dentre os pequenos uma solução para aliviar a fome da família: caçar ratos para comer. Os roedores abatidos eram cozidos ou fritos nas refeições do dia. A família mora na comunidade conhecida por Barreira, no sítio Tambor, em Alagoa Grande. Ali, não falta não falta apenas comida, mas de água, esgotamento sanitário, moradia digna e expectativa de vida. Segundo ela, a família conseguiu se cadastrar no Bolsa Família e percebe uma renda de R$ 240.
Segundo dados oficiais, a Paraíba tem 504 mil pessoas vivendo na miséria. Mesmo com o avanço na distribuição de renda pelos programas sociais, o Estado ainda tem a sexta pior renda per capita do Brasil (R$ 474,09). O percentual de pessoas em condição de pobreza ou de extrema pobreza em relação ao total de habitantes é de 43%. No caso apenas dos domicílios urbanos não agrícolas, onde nenhum dos residentes trabalha com agricultura, o percentual dos paraibanos extremamente pobres cai para aproximadamente 10%.


Fonte: http://www.blogdomagno.com.br/
Créditos: Magno Martins

Confiança no País melhora e pode indicar que o pior da crise ficou para trás

gráfico
Cinco de seis indicadores que medem a confiança e as expectativas em diferentes setores da economia voltaram a crescer em janeiro em relação ao final do ano passado. Economistas dizem que é cedo para falar em recuperação porque o cenário econômico ainda é ruim e os indicadores estão em um patamar muito baixo. Mas o fato de a confiança interromper a trajetória de queda em vários setores e voltar a crescer pode ser uma primeira pista de que o pior da crise pode ter ficado para trás, especialmente no caso da indústria.
No mês passado, o índice de confiança dos empresários da indústria, apurado pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), atingiu 78 pontos e avançou 2 6% em relação a dezembro, descontadas as variações que sempre ocorrem nesse período. Nas mesmas bases de comparação, movimentos semelhantes de alta de dezembro para janeiro de outros indicadores de confiança da FGV foram registrados nos serviços (2,8%), no comércio (6,4%), no consumidor (2,5%) e no emprego (5,4%). Só o setor de construção civil destoa: a confiança recuou 0,7 ponto de dezembro para janeiro.
“Há uma boa chance que tenhamos atingido o piso desses indicadores no final do ano passado, mas acredito que vamos ter que esperar um pouco mais para confirmar se houve uma virada”, afirma o superintendente adjunto de Ciclos Econômicos da FGV, Aloisio Campelo.
Dúvidas sobre a reação
O economista da Tendências Consultoria, Rafael Bacciotti, diz que é cedo para acreditar em reversão sustentável. “O cenário econômico é bastante adverso: estamos no meio de um ajuste do emprego e da renda, convivendo com inflação elevada e contração do crédito.”
Para Francisco Pessoa, economista da LCA Consultores, os índices de confiança podem ter parado de cair não porque a situação da economia tenha melhorado, mas porque a atividade está tão ruim que os agentes acreditam que não possa piorar mais. “Neste ano ainda vejo queda na atividade, mas num ritmo menor do que no ano passado.”
Para Campelo, houve uma espécie de “aterrissagem” dos indicadores de confiança no final de 2015 e na indústria já é possível notar uma melhora. Em janeiro, a confiança dos empresários da indústria teve a segunda alta seguida. O indicador subiu em 12 de 19 segmentos na comparação com dezembro.
“A confiança dos empresários da indústria parou de cair desde agosto”, diz Campelo. Isso porque o setor, baseado na forte contração da produção, conseguiu ajustar o estoque ao tamanho menor do mercado.
Bacciotti concorda com Campelo e diz que o cenário é mais favorável para a indústria porque, além do ajuste de estoques, o setor é beneficiado pelo câmbio depreciado, que amplia a competitividade das exportações, e pelo arrefecimento dos custos salariais que ocorrem por causa da recessão.
No caso da confiança do consumidor, Campelo também vê fatores objetivos para que o índice tenha parado de cair. Ele lembra que o consumo das famílias despencou no ano passado, as pessoas ficaram mais cautelosas, reduziram as compras e fizeram um ajuste. “Os orçamentos domésticos continuam apertados, mas, daqui para a frente, as taxas começam cair de forma menos intensa, pois a base de comparação é fraca”, argumenta.
O economista lembra que esse movimento provocado pela base fraca de comparação é esperado nos ciclos da economia. O difícil é saber se ele veio para ficar.
 
Zigue-zague
Um ponto levantado pelo superintendente da FGV é a sustentabilidade dessa possível recuperação. “Fiz um exercício com 37 países e constatei que quanto mais longa a fase de queda da confiança, mais tempo demora para a economia se recuperar.”
Isso significa que em recessões longas, como a atual, a recuperação é mais volátil. Isto é, pode ter início uma fase de recuperação que depois é interrompida. Como os economistas gostam de ilustrar, seria uma recuperação afetada por turbulências, no formato da letra W.
Enquanto não se sabe ao certo se, de fato, o avanço da maioria dos índices de confiança é um sinal de recuperação, no caso da construção civil, essa hipótese está descartada. Em janeiro a confiança do setor atingiu o menor nível da série iniciada em julho de 2010.
Além de o ciclo da construção ser mais longo comparado aos demais, hoje há incertezas que afetam o setor tanto no segmento imobiliário como no de infraestrutura. Além disso, as turbulências por causa das investigações da Lava Jato ajudam a piorar o cenário.
Fonte: Estadão

Trio assalta Bar da Cajarana em Patos na manhã desta quinta-feira

Três homens não identificados assaltaram nas primeiras horas desta quinta-feira, 11, o Bar da Cajarana, em Patos. Segundo informações da polícia, o trio subtraiu do estabelecimento o valor de um mil reais e celulares de clientes. 
O trio fugiu logo em seguida com destino ignorado.
A Polícia Militar informou que os homens estavam em duas motocicletas Fan de cor preta e outra motocicleta de características não repassadas, além de utilizarem dois revólveres e uma pistola semelhante a arma de brinquedo.


Fonte/PatosVerdade

Ruas alagadas, placas arrancadas pela ventania, em cidade do Sertão

Foi registrado nesta quarta-feira(10), uma agrande chuva com ventos fortes, na cidade de Piancó, Sertão da Paraíba, onde varias ruas, comércios e casas ficaram alagados, uma chuva que pegou de todos de surpresa.
























Veículo antigo é incendiado em rua de Conceição

Um veiculo antigo, modelo Corcel II, foi incendiado, na manhã desta quarta-feira(10), em uma rua localizada por trás do colégio Calula Leite, na cidade de Conceição. 

Na imagem é possível perceber uma mulher com um balde na mão, possivelmente, para tentar apagar as chamas, que se espalham pelo veículo.

A reportagem do portal Vale do Piancó Notícias ainda não obteve informação sobre as causas do incêndio. Tão logo a informação chegue, o portal fará a divulgação.

Pela foto o veículo não tenha mais utilidade, porém o incêndio coloca em risco a população que mora próximo ao local das chamas.



Vale do Piancó Notícias

MOTORISTAS DENUNCIAM BURACO NO ASFALTO DA PE 320 NO DISTRITO DE CANAÃ


Para alertar a Secretaria de Transportes de Pernambuco e ao Departamento de Estradas e Rodagens (DER) com relação ao estado de conservação da PE-320, por onde trafegam dezenas de veículos diariamente, motoristas se preocupam com um buraco aberto na PE 320, recapeada a menos de 04 anos ligando Serra Talhada a cidade de São José do Egito.
Residente no município de Flores, o internauta Alberto Diniz trabalha em Serra Talhada e todos os dias se preocupa quando passa nas proximidades do distrito de Canaã, por conta do referido buraco que está abrindo na cabeceira de uma ponte. “Aqui está prestes de acontecer um acidente e algo precisa ser feito com urgência”, disse.
CauêRodrigues

Miss é encontrada morta em cidade do interior potiguar

Marcello Patriota
Emilly Medeiros foi eleita miss São João do Sabugi em 2015 (Foto: Arquivo Pessoal)Emilly Medeiros foi eleita miss São João do Sabugi em 2015 (Foto: Arquivo Pessoal)
 A miss de São João do Sabugi Emilly Medeiros, de 17 anos, foi encontrada morta na manhã desta quinta-feira (11). O corpo da jovem foi encontrado por seu pai dentro do quarto.
Emilly Medeiros estudava produção têxtil no campus de Caicó do Instituto Federal do RN (IFRN). Ela foi eleita miss São João do Sabugi em 2015. A polícia investiga a possibilidade de suicídio.

Três estórias de delegados de polícia

Tião Lucena


Hoje em dia até que o prestígio deles diminuiu um pouco, mas, quando eu era rapazinho lá no interior, delegado de polícia tinha mais poder do que prefeito. Prefeito, como sabemos, possui a chave do cofre e pode nomear. Mas somente o delegado podia prender.
Como aquele delegado de Piancó, preto, gordo e atarracado, que atendia pelo nome de Tenente Miranda. Chegou ao Vale com cara de brabo e, sem medo dos cangaceiros e pistoleiros que por lá reinavam, danou-se a ditar normas e regras.
A primeira medida dele foi proibir serenatas. Os notívagos, claro, ficaram desesperados. Não podiam mais demonstrar seus amores às amadas noturnas e, pior ainda, estavam privados, a partir daquela ordem, de romper as madrugadas degustando uma legítima Serra Grande com preá assado na brasa.
O jornalista Antonio Vicente, de férias na sua terra natal, convocou os amigos para uma tertúlia alcoólica no pátio da Igreja Matriz de Piancó, sem aceitar qualquer desculpa em contrário. Encontraram-se no comecinho da noite, começaram a beber e quando estavam na quinta meiota, o Tenente Miranda, devidamente fardado, apareceu com o destacamento e, nem bem chegou, deu as ordens:
-Todo mundo pra casa! Ou será que falei grego quando disse que depois das 10 da noite ninguém podia permanecer na rua?
Toinho, com o olho esquerdo de estimação fechando por conta do álcool de Vitória de Santo Antão, pediu uma data vênia ao delegado e, ao receber a devida permissão, indagou, solene:
-Senhor Tenente, será que eu posso, quando chegar em casa, me deitar e ficar com os olhos abertos?
Fez isso, mas na cadeia.
A PERUA
No natal e no ano novo a minha turma tinha o dever e a obrigação de roubar um peru para comer assado com cana.
Naquela véspera de ano novo, saímos, eu e Moab, com uma espingarda de soca em busca da vítima. Fomos encontrá-la pastando tranqüilamente no quintal de Marinalva de Zé Caxita, a musa de Paulo Mariano. Apontei a espingarda, mirei no pescoço e puxei o gatilho. A perua da mãe de Marinalva caiu, mas não morreu. Ficou batendo as asas numa zoada de chamar gente. Jogamos a quase defunta dentro do saco e demos nas canelas, mas ainda a tempo da velha dona da perua ver os dois gatunos desaparecendo na curva da Pichilinga.
Dia seguinte, apareceu na Delegacia para dar parte do caso ao Capitão Clodoval Ferreira, delegado da cidade. Contou a história toda e, ao terminar, Capitão Clodoval perguntou:
-Minha senhora, os ladrões de sua perua foram os filhos de Miguel Fotroga e Pedro Crente?
A mulher fez que sim com a cabeça e o Capitão, sem esconder o desalento:
-Posso fazer nada não, criatura. Fui o convidado de honra da farra de sua perua ontem à noite.
O TELEFONEMA
Brasília tem um monte de delegados de Polícia nordestinos. De lembrança assim conheço três: Miguelzinho Lucena, Aristeu do Monteiro e Antenor Siqueira.
Este último, nascido e criado em Serra Talhada, ali no sertão de Pernambuco, estava de plantão depois da meia noite, com mais de quatro lapadas de quentão na cabeça, quando atendeu ao telefone. Do outro lado, uma voz nervosa de mulher perguntava:
-De onde fala?
-É da Delegacia.
-E quem fala?
-É o delegado.
E a mulher:
-Doutor, corra que tem dois ladrões aqui em casa!
Foi quando Antenor Siqueira, perdendo a paciência, encerrou o assunto:
-Minha senhora, aqui tem mais de 100 e eu não ando ligando para ninguém a essa hora da noite.

Vazamento em canal da Transposição: Ministério da Integração emite nota


riosaofrancisco_121128_agenciacamaraO vazamento pontual no canal do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco, em Cabrobó (PE), já foi controlado. O rompimento ocorreu no canal de transição que recebe água do Aqueduto Mari, localizado entre os reservatórios de Tucutu e de Terra Nova. Por ter sido um acontecimento pontual, o vazamento não terá impacto no cronograma das obras do Projeto São Francisco.
Desde o último sábado (06/02), início do vazamento, o Ministério da Integração Nacional acompanhou de perto a situação. Atualmente, o consórcio responsável pelo trecho da obra realiza a limpeza do canal para finalizar o diagnóstico sobre a origem do vazamento e assim iniciar imediatamente os reparos. As medidas não trarão custos adicionais ao Governo Federal.
O consórcio responsável pelo trecho é formado pelas empresas Carioca Engenharia, Serveng Civilsan e S.A. Paulista.
Com 477 quilômetros de extensão em dois eixos (Leste e Norte), o Projeto vai garantir a segurança hídrica de 12 milhões de pessoas em 390 municípios nos estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba.
Ministério da Integração Nacional – Assessoria de Comunicação

Jacaré é capturado por moradores de Custódia

 
jacare-custodia_3B2CQXv
Um jacaré foi encontrado em uma rua no Bairro da Redenção em Custódia, no Sertão de Pernambuco e foi capturado por moradores do local na noite da quarta-feira (10). Segundo relato de um morador ao G1, o animal teria saído de uma barragem da cidade – localizada a aproximadamente 800 metros de onde foi capturado – e foi levado de volta para o reservatório na carroceria de um veículo.
O secretário municipal de Meio Ambiente, Domingos Ramos Rodrigues, explicou que fará um laudo para identificar a origem do animal. “Ontem choveu e as ruas acumularam água. Acreditamos que o jacaré saiu de uma barragem por causa deste acúmulo e deve ter se sentido com ambiente mais amplo. Não sabíamos da existência dele no local, ele pode ter migrado de um açude que secou. O bairro que ele foi encontrado é urbano, não é o habitat natural”.
Felipe Fraga, de 28 anos, acompanhou de perto a situação. “A reação das pessoas foi de espanto. Eu nunca tinha visto isso. Conseguiram conter o animal, mas não machucaram ele”. A Polícia Militar esteve no local e deu apoio aos moradores na ação.
O Corpo de Bombeiros de Arcoverde informou que foi solicitado para atender a ocorrência, mas em seguida os moradores ligaram para dizer que já tinham capturado o animal.
“Não é o recomendado a população capturar por conta própria, pois alguém pode ficar ferido. Mesmo que a gente fosse capturar, precisamos do apoio do Ibama [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis] ou algum departamento da prefeitura”, destaca o cabo Marcos.

DILMA ESCALA MINISTROS PARA CAMPANHA CONTRA A ZIKA

Marcelo Carvalho
misterial-08-10-2015-3-e1444346539577
Da Agência Brasil
A presidenta Dilma Rousseff acertou nesta quarta-feira (10) os últimos detalhes da mobilização nacional de combate ao Aedes aegypti, convocada para o próximo sábado (13). Ela vai ao Rio de Janeiro e pretende enviar um ministro de estado a cada capital do país para acompanhar os trabalhos das Forças Armadas.
Durante a ação, o governo quer levar cerca de 220 mil militares do Exército, Marinha e Aeronáutica a 356 municípios para que participem da campanha de conscientização da sociedade com orientações para eliminar o inseto transmissor do vírus Zika.
Durante a tarde e o início da noite, Dilma se reuniu com parte do seu ministério para discutir as ações. Os ministros vão representar o governo federal e monitorar o trabalho de distribuição de material impresso com informações para a população sobre como manter a casa livre dos criadouros do mosquito.
Os destinos de alguns membros do primeiro escalão já foram definidos, como os do titular da Saúde, Marcelo Castro, que seguirá para Salvador, e o chefe da Casa Civil, ministro Jaques Wagner, que irá a São Luís.
A programação em cada local ainda não foi fechada, já que as prefeituras ainda estão identificando as principais necessidades de cada cidade para a eliminação do mosquito. O Aedes aegypti é vetor da dengue, da febre chinkungunya e do vírus Zika, que pode causar microcefalia em bebês.
Mais cedo, Wagner e Marcelo Castro conversaram com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, sobre as novas tecnologias de combate ao vírus Zika e o estabelecimento de parcerias com institutos de pesquisa de outros países no desenvolvimento de uma vacina.
A meta da mobilização nacional é visitar três milhões de residências. A ação vai abranger todas as cidades consideradas endêmicas, de acordo com indicação do Ministério da Saúde, e as capitais do país. A participação da equipe de Dilma em outras cidades no Norte e Nordeste do país também foi resolvida, como Aracaju (Juca Ferreira, da Cultura), Recife (Tereza Campello, Desenvolvimento Social e Combate à Fome), Maceió (Edinho Silva, Comunicação Social) e Manaus (Ricardo Berzoini).
Na semana passada, Jaques Wagner, convocou, além dos ministros, secretários executivos dos ministérios, presidentes de empresas públicas, autarquias e fundações federais para que estejam presentes nas capitais e nos municípios de maior porte para acompanhar pessoalmente as ações. A determinação de Dilma é de que cada funcionário público federal ajude a combater o mosquito e sua reprodução.