Anvisa proíbe venda de lote de extrato de tomate com pelo de roedor

Fica proibida, a partir desta segunda-feira (30), a distribuição e venda de um lote de extrato de tomate da marca ‘Elefante’. 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária constatou a presença de "matéria estranha" no produto e, por meio de resolução, determinou que a Cargill Agrícola, empresa fabricante, recolha o estoque restante desse lote existente no mercado, pois pode indicar risco à saúde dos consumidores.

A medida vale apenas para o lote L011810 do produto, que tem validade até do dia 7 de outubro de 2016. A decisão da Anvisa foi publicada no Diário Oficial da União. A suspensão ocorre após laudo da Fundação Ezequiel Dias, que detectou pelo de roedor acima do limite máximo de tolerância pela legislação vigente, que é de um fragmento de pelo para cada 100 gramas.


A Cargill disse, por meio de nota, que foi informada sobre a decisão da Anvisa e que "tomará as providências cabíveis". A fabricante ainda afirmou que a presença de fragmentos microscópicos nesse tipo de alimento "é inerente à matéria-¬prima advinda do campo, entretanto são adotados cuidados no processo de fabricação, inclusive com a pasteurização do produto, o que elimina quaisquer riscos à saúde humana".



Portal Correio