Especialistas discutem processo de impeachment de Dilma e posicionamento do Congresso



debate 2O advogado Otto Cruz disse na noite desta quinta-feira, 09, que acredita na cassação do presidente afastado da Câmara de Deputados, Eduardo Cunha (PMDB). Além de Otto,o jornalista Lenilson Guedes, o presidente afastado do PT paraibano Charliton Machado e o deputado estadual Jeová Campos (PSB), também participaram do painel do programa Master News, da TV Master.
“Eu acredito que ele perde o mandato e isso já será uma vitória para o povo brasileiro, ele perderá pela pressão social, se ele não sair pelos deputados, sairá pelo Poder Judiciário, a prisão é um outro ponto, já que há vários outros políticos que deveriam ser presos também e ainda não foram”, afirmou Otto.
Já o deputado Jeová Campos (PSB) destacou que Otto é uma pessoa otimista, mas foi duro ao dizer que “acredito que a crise será aprofundada, Cunha é o capitão do mato da política brasileira, ele participou de todo o processo de afastamento da presidente e depois dela ser afastada, ele foi subitamente retirado do cargo”, disse.
Charliton Machado acrescentou que “havia um amadurecimento, uma certeza que Eduardo Cunha não tinha condições de presidir aquele processo e ainda assim o fez, quando a presidenta Dilma foi afastada, o STF se posicionou”, disse.
debate 1Lenilson disse que “com esse Congresso que está aí não há condições de continuar governando o Brasil, se Dilma voltasse hoje, ela teria todo o Congresso contra ela e com Temer é a mesma coisa, por mim, deveria zerar tudo e fazer novas eleições”.
Questionados se Dilma Rousseff poderá voltar ao final do processo de cassação contra ela, Charliton disse que não tem dúvidas que ela volta, “se depender da vontade das ruas, ela retorna, a gestão interina de Michel Temer criou uma política totalmente contrária ao discurso que cunha defendendo, é lamentável que Temer esteja indo de encontro a tudo que tinha falado até agora só para se manter na gestão”.
Otto Cruz disse que não acredita no retorno de Dilma, “o Congresso que aí está não tem interesse na volta dela, você me perguntou o que eu acredito, não o que eu quero, e nesse contexto atual, penso que Temer conclui o mandato; ela está fazendo certo em percorrer o país inteiro mostrando suas boas ações em todo o país, está fazendo tudo o que outros políticos fariam”, enfatizou.
Jeová Campos afirmou que “as políticas que o PT fez não podem ser esquecidas, mas houve erros capitais também, é importante que se destaque e se investigue vários escandalos do PSDB, como Furnas, o metrô de São Paulo, mas parece uma ditadura, não se investiga o PSDB, eu acredito que ela volta, a crise ainda não chegou no ápice, não chegou ao topo, temos paladinos da moralidade posando de santos e não são tão santos aí”.
“Até quando a corrupção deporá os políticos de nosso Brasil?”, questionou Jeová. “A política é necessária ao estado, a política deve servir ao povo, não se servir do povo, mas isso parece uma utopia hoje, mas o dia que eu não acreditar mais nisso, eu deixo a vida pública”, concluiu.
Créditos: Polêmica Paraíba