Estudante do IFPB desenvolve aplicativo para rastrear casos de estupro em ônibus


A estudante pernambucana Simony César, do curso de Design Gráfico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), desenvolveu, com ajuda de estudantes de computação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), um protótipo de aplicativo que auxilia no rastreio e combate à violência sexual nos ônibus. Ela é estudante do IFPB em Cabedelo, na Grande João Pessoa.
Chamado de "Eva", o aplicativo foi vencedor do concurso "Hack a City", realizado no mês de maio, em Recife (PE). De acordo com a estudante do IFPB, a ideia do aplicativo surgiu a partir do aumento no número de casos de assédio em ônibus e de violência contra a mulher em todo o Brasil.
“Percebi que se faz mais do que imediata a necessidade de ampliar as vozes das mulheres vítimas, uma vez que, por conta desse sepultamento do tema só alimenta e colabora para a cultura do estupro velado por essa sociedade misógina e machista”, disse a estudante.
Através do aplicativo, que deverá ser disponibilizado para a Secretaria da Mulher do Recife, será possível mapear os principais casos de assédio nas cidades, identificando as linhas de ônibus que têm maior índice de assédio, o horário, trecho e ainda registros fotográficos dos criminosos.
Simony disse ao Portal Correio que o aplicativo ainda é um protótipo que precisa de outras questões técnicas para que funcione de forma efetiva, o que deve acontecer em breve no Recife. Sobre chegar a outras cidades, não só do Brasil, mas também do exterior, ela falou que há algumas limitações técnicas que precisam ser vencidas para que o serviço seja ampliado, o que ainda não tem uma data prevista.

Fonte Portal Correio