Maior presídio do país tem favela e área chamada “minha cela, minha vida”

presidio
Uma visita feita por dois juízes e outros dois advogados da Corte Interamericana de Direitos Humanos ao Complexo do Curado, que abriga mais de 7 mil detentos em uma área com capacidade para 1.800 pessoas, constatou que a unidade penitenciária tem uma favela dentro do pátio, com setores VIPs conhecidos como “Minha cela, minha vida”.
De acordo com a reportagem da jornalista Fabíola Ortiz para o site BBC Brasil, a área exclusiva da cadeia é destinada aos presos mais próximos do comando do narcotráfico local, o que os possibilita o pagamento pelo “aluguel” da cela especial. A vaga VIP custa R$ 120 por semana, para “viver” em uma área que consiste em favelas construídas dentro dos pátios das três unidades prisionais.
O Complexo do Curado é o maior presídio do Brasil e fica a 7 km do centro do Recife, capital pernambucana. O local possui apenas 300 agentes penitenciários para controlar os três setores. A unidade coleciona denúncias de violação de direitos humanos e, de acordo com especialistas, coloca em risco milhares de pessoas que moram nas proximidades.
O pesquisador da ONG Justiça Global, Guilherme Pontes, que acompanhou a visita dos juízes da Corte, em 8 de junho, diz que “O Curado é um presídio muito particular, as situações são extremas ali. A parte apelidada de ‘Minha cela, minha vida’ seria a área VIP. São barracos de celas autoconstruídos de madeira e alvenaria, uma espécie de favelinha dentro do complexo prisional com becos, barracos de dois andares. Estar lá foi, de fato, impressionante, muito inusitado”, contou à reportagem da BBC.
Já a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco informou, em nota, à BBC Brasil que, na visita, foram mostrados planos de urgência e emergência realizados nas três unidades relacionados à saúde, segurança e garantia dos direitos humanos.
Além de todos os problemas, os presos do Curado armazenam centenas de armas dentro dos pavilhões. Em 2016, mais de mil facões foram recolhidos. E a estimativa é que hoje eles tenham em poder cerca de 30 armas de fogo.

Créditos: Notícias ao Minuto