Observatório da Imprensa: Jornal Nacional virou porta-voz oficial do governo Temer


Publicado em :
joão-roberto-marinho-e-Eduardo-Cunha
Estamos vendo o que é, realmente, imprensa chapa-branca!
Mais que chapa-branca!
Segundo uma comentarista do “apartidário” Observatório da Imprensa, o Jornal Nacional, principal telejornal de uma concessão pública, tornou-se o Porta-Voz Oficial do governo federal.
Uma coisa é existir um punhado blogs políticos fazendo a defesa do governo contra os ataques diuturnos, apocalípticos, da grande mídia.
Outra coisa são concessões públicas, com enorme audiência, recebendo dezenas de bilhões de reais do contribuinte, manipulando a opinião pública para que o governo promova livremente o assalto legalizado (ou não) do patrimônio público, abafando as críticas e reprimindo protestos.
O Jornal Nacional, por exemplo, vai dar destaque aos protestos do sindicalismo internacional ao novo ministro do Trabalho, durante evento em Genebra?
Não, não vai. Se noticiar, será distorcendo a informação.
A imprensa brasileira, além de golpista e conservadora, agora é porta-voz oficial do governo.
Abaixo, um depoimento da jornalista Zulcy Borges, publicado no último dia 6, no Observatório da Imprensa, o mesmo site, aliás, que o governo Temer fez questão de dizer que é “apartidário” e, portanto, está apto a receber publicidade institucional.
MONITOR DA IMPRENSA > GOVERNO TEMER
Comunicação oficial sob nova administração
Por Zulcy Borges em 06/06/2016 na edição 906
Jornal Nacional de quarta-feira, 1º de junho último. A reportagem sobre ativistas sem teto que ocuparam o prédio da Presidência da República, em São Paulo, chega ao ápice focalizando PMs dando cacetadas, literalmente, em uma mulher e outros invasores desarmados. Logo William Bonner justifica a violência dos policiais – a mulher chutou uma lixeira.
Este vem sendo o tom da cobertura da Globo do governo Temer. Muito parecido com o noticiário televisivo policialesco da Record e da Bandeirantes – em que a polícia sempre tem razão em qualquer circunstância, mesmo matando.
O governo Temer não precisa de agência de Comunicação, sequer de porta-voz (aliás, quem é?). Lá está, 24 horas por dia, a repórter Delis Ortiz e toda a retaguarda da rede à sua disposição para exclusivas, no Palácio do Planalto ou do Jaburu. Aliás, Temer é uma das novas estrelas permanentes do Fantástico.
Fica, então, no ar, o que acontecerá com os funcionários e jornalistas da EBC e da Rede Brasil ainda não demitidos, sob a tutela, ao menos formal, do novo ministro das Comunicações e outras coisas, deputado federal Gilberto Kassab.

Fonte: O CAFÉZINHO