Saiu no Blog do Aryel Aquino: Prefeito de Tavares entra com Representação Criminal “Blog Juru em Destaque”, em virtude de injúria e difamação em matéria

Escrito por Blog do Aryel Aquino 

O prefeito do município de Tavares/PB, Dr. Aílton Suassuna (foto), através da advogada, Maevia Suassuna (irmã), acionou na manhã desta terça-feira (14/06) à Delegacia de Polícia, em Princesa Isabel/PB, para entrar com uma Representação Criminal em face do “Blog Juru em Destaque”, que tem como editor-chefe, Geraldo Luiz.
Em contato com o blog do Aryel Aquino, a Dra. Maevia disse que o prefeito procurou à justiça após se sentir ofendido com o conteúdo da matéria intitulada “Tragédia de Tavares”, onde em um trecho da postagem assinada por Geraldo Luiz, diz:
“Numa cidade como Tavares, onde se respira política vinte e quatro horas por dia, após o acontecimento dessa tragédia em outro assunto não se fala, não faltando inclusive comentários através das redes sociais que o acidente teria ocorrido por motivação política pelo fato de ter atingido as pessoas nas mesas onde se encontrava o pré-candidato a prefeito Coco de Odalho acompanhado de sua esposa e de seguidores políticos. Ainda segundo informações, coincidentemente o fato se deu logo que se retiraram da festa o prefeito Aílton Suassuna e o ex-prefeito Dr. Severiano, ambos adversários políticos de Coco de Odalho”.

A Representação Criminal foi entregue e protocolada pela delegada, Dra. Darcinaura Alves de Assis, responsável pelas demandas de Tavares, com toda a documentação e provas pertinentes ao caso.
Foi juntado também a pedido de Dra. Maevia Suassuna, os depoimentos colhidos no dia de ontem, dia 13/06/2016, inclusive de uma testemunha da oposição já ouvida na DP, a qual disse em seu depoimento que era eleitor de Coco de odalio e que em nenhum momento houve briga politica, discussão ou qualquer fato politico que envolvesse o caso, que é de conhecimento de todos que o fato foi acidental.
A advogada ressaltou ainda que a vítima fatal do atropelamento era eleitor do prefeito de Tavares, bem como outras vítimas que foram atingidas pelo carro, na madrugada do domingo (12/06), durante a festa de Santo Antônio, na comunidade Serrinha dos Bezerras, na zona rural do município.
Segundo Maevia, na ação serão apurados os Crimes contra a Honra. “O blogueiro se excedeu em seus comentários e terminou por atingir a reputação alheia. Nesse caso, o autor da ofensa estará sujeito tanto às consequências criminais (ou seja, ao cumprimento de pena) quanto civis (o pagamento de indenização à vítima) de seu ato”, explicou Maevia.
De acordo com a advogada, há algum tempo, Geraldo Luiz, utiliza o seu blog para fazer comentários maldosos, mentirosos e ilícitos contra o prefeito e sua família.
“O mesmo é um dos que divulgam as matérias da oposição, tendo em vista eu não ter aceitado a sua proposta na época para trabalhar junto a Administração Pública Municipal, tornando-se sem êxito o objetivo do blogueiro”, disse ela, acrescentando: “Daí, ele partiu para o ataque e vem sem nenhuma ética, sobretudo por causa do momento politico que atravessamos, trazendo à população noticiários criminosos envolvendo a imagem de pessoas de responsabilidade sem ao menos dizer a fonte de qual se utilizou, com o único propósito de macular a imagem do prefeito de Tavares Dr. Ailton Suassuna, em situações ilícitas trazendo assim prejuízo a sua imagem por fatos nunca cometidos, divulgações estas em redes sociais ensejando assim o cometimento de crimes contra a honra pela internet”.
“Que sirva de exemplo para muitos que não sabem fazer politica e sim politicagem barata e sem respeito ao próximo, a partir desse momento tudo servirá de demanda judicial não permitirei que pessoas desprovidas de caráter atinjam nossa honra, nossa reputação”, finalizou Maevia.
No Brasil, os direitos de imagem e de reputação estão garantidos no artigo 5º da Constituição Federal. Os chamados “crimes contra a honra” são tipificados na Lei de Imprensa, no Código Penal e na legislação eleitoral. O uso desta legislação criminal tem ensejado abusos e, apesar de parte da Lei de Imprensa encontrar-se atualmente suspensa, dispositivos do Código Penal brasileiro e da legislação eleitoral – que preveem penas privativas de liberdade para a calúnia, injúria e difamação – continuam a ser utilizados.