UMA VERGONHA: Deputados iniciam campanha para aumentar os próprios salários – De 33 para 39 mil !!


alx_camara-20150515-95_original
Após a aprovação, na Câmara, do reajuste salarial de diversas carreiras, deputados deflagraram movimento para elevar os próprios rendimentos. Ficaram animados com o aumento de 16% concedido aos ministros do STF, cujos salários passaram a R$ 39,3 mil. O vencimento de um magistrado da corte é o limite do que podem ganhar os parlamentares.
A articulação, ainda reservada, esbarra num efeito colateral: um aumento em seus salários fatalmente despertará a ira do eleitorado.
Congressistas ganham R$ 33,8 mil — o salário atual dos ministros do STF, que deve sofrer reajuste.
O Planalto morre de medo que o aumento para congressistas ganhe força.
De um lado, avalia que o desgaste social também atingiria Temer. De outro, antevê dificuldade de brecar a medida diante da necessidade de aprovar reformas. (Coluna Painel – Folha de S.Paulo)
Após a aprovação, na Câmara Federal, do reajuste salarial de diversas carreiras, deputados federais deflagraram movimento para elevar os próprios rendimentos, , da Folha. Ficaram animados com o aumento de 16% concedido aos ministros do STF, cujos salários passaram a R$ 39,3 mil. O vencimento de um magistrado da Corte é o limite do que podem ganhar os parlamentares. A articulação, ainda reservada, esbarra num efeito colateral: um aumento em seus salários fatalmente despertará a ira do eleitorado.
Congressistas ganham R$ 33,8 mil, o salário atual dos ministros do STF, que deve sofrer reajuste.
segundo informa a coluna Painel, o Planalto morre de medo que o aumento para congressistas ganhe força. De um lado, avalia que o desgaste social também atingiria o presidente interino Michel Temer. De outro, antevê dificuldade de brecar a medida diante da necessidade de aprovar reformas.
Um acordo dos líderes partidários da Câmara dos Deputados possibilitou a votação, na semana passada, de diversos projetos de leis que tratam de reajustes de servidores públicos. Inicialmente, o acordo previa o reajuste escalonado de oito categorias. Mas, no plenário, houve novo acordo para que os deputados votassem os reajustes de 16 categorias.
O primeiro deles foi o dos servidores do Judiciário, que vão ter os vencimentos reajustados em 41% de forma escalonada, em oito parcelas, de 2016 a julho de 2019. A proposta tem impacto orçamentário para 2016 de R$ 1,160 bilhão. Houve negociação do Supremo Tribunal Federal com a presidente afastada Dilma Rousseff para garantir os recursos para o reajuste a partir de 2016, sendo que o impacto financeiro total ocorrerá apenas a partir de 2020.
Fonte: Coluna Painel - Folha de S.Paulo)