Dupla morre ao tentar explodir caixas eletrônicos de agência bancária

Marcelo Carvalho
Suspeito morreu no momento da explosão em Viamão (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
A polícia acredita que os dois homens mortos durante a explosão de uma agência bancária em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre, tenham participado de uma outra explosão a uma agência bancária do HSBC na Zona Sul da capital gaúcha na madrugada de quarta-feira (6).
“Pela constituição física e pelas investigações que têm sido conduzidas pelas delegacia de roubos, acreditamos que eles possam ter sido uns dos possíveis autores”, disse o delegado João Paulo de Abreu (Veja o vídeo abaixo).
Ainda de acordo com o delegado, a polícia trabalha com a hipótese de que até seis pessoas tenham participado da ação em Viamão, que resultou na explosão acidental da emulsão explosiva . “Pode ter sido algum erro na hora de manusear”, afirmou.
 Dois homens morreram durante a explosão na agência do Banrisul às margens da ERS-040. Os dois mortos na explosão ainda não tinham sido identificados.
“Eu acredito que eles tenham calculado mal com referência ao tempo porque eles não tiveram tempo de sair da agência, calcularam mal o tempo da explosão”, disse o sargento da Brigada Militar Hilander Conte. “Nos meus 30 anos de… é uma cena forte”, disse o policial que atendeu a ocorrência ainda durante a madrugada.
Foram encontradas marcas de sangue no local, o que sugere, segundo a polícia, que os outros suspeitos que participaram da ação tenham ficado feridos.
“Possivelmente tenha um dos indivíduos ou mais de um tenham ficado feridos no local e talvez tenham sido resgatados. Já fizemos contato com vários hospitais para verificar se não deram entrada”, completou sargento.
Um veículo, Cobalt de cor preta, foi localizado a cerca de um quilômetro do local da explosão, na Estrada da Branquinha, no bairro Vimópolis.
No porta-malas foram encontrados explosivos. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado para a retirada do material.
Por volta das 9h o Gate terminou a perícia no banco, onde não foram encontrados mais explosivos, e se encaminharam para a Estrada da Branquinha, onde estava o veículo abandonado com o material explosivo.