Feijão é o novo vilão no supermercado; veja dicas para economizar


O atual vilão do supermercado é um dos produtos mais tradicionais na mesa do brasileiro: o feijão. O preço do feijão carioca, o mais consumido no país, aumentou 54,1% desde o começo do ano. Só ficou atrás do mamão, que disparou 77,18%.
O UOL conversou com a nutricionista Vanderli Marchiori e com a educadora financeira Cíntia Senna e reuniu dicas para driblar essa disparada nos preços do produto.
Almoço ou janta
O feijão não precisa ser consumido no almoço e na janta, como muitas famílias costumam fazer, diz Marchiori. "Uma vez ao dia é o suficiente, se a pessoa faz refeições equilibradas."
Evite o desperdício
Cozinhar o feijão de uma única vez, dividir em pequenas porções e congelar pode ser uma opção para consumir o produto sem o risco de ele estragar. "Muitas vezes, aquela sobra da panela fica um ou dois dias na geladeira e acaba sendo jogada fora", afirma Senna.
Usar as sobras em novas receitas --como uma sopa de feijão, por exemplo-- também é uma forma de aproveitar o valor nutritivo do ingrediente e evitar desperdício.
Troque de marca
Durante as compras, fique atento ao preço de marcas menos conhecidas, normalmente mais baratas. Segundo Senna, o momento é de testar novas possibilidades. "O único cuidado antes de comprar é verificar se não há sujeira misturada aos grãos."
Olho nas promoções
Acompanhar ofertas de supermercados ou aproveitar promoções relâmpago durante as compras é outra saída para comprar feijão mais barato. Mas não exagere. "Só não recomendo fazer estoque muito grande, para o produto não estragar."
Esqueça o carioquinha
O feijão carioca é o mais consumido no Brasil, mas também é o que mais subiu. Senna sugere experimentar outras variedades que estejam mais em conta no mercado, como o feijão preto e o fradinho. "Compre apenas um pacote de cada vez, para fazer a experiência e ver se aprova a mudança", recomenda.
Varie a receita
Uma forma de fazer o feijão render mais é testar novas receitas, em que ele não seja o único ingrediente. Em vez do feijão com arroz, Senna sugere optar pelo feijão tropeiro, pela salada de feijão fradinho ou pelo baião de dois, por exemplo.
Você pode substituir o feijão por...
O feijão é fonte de proteína e fibras, mas é possível substituí-lo combinando outros alimentos, diz Marchiori.
Outra fonte de proteína: segundo a nutricionista, uma alternativa é incluir no cardápio um ovo por dia no lugar do feijão. "A proteína do ovo é de melhor qualidade, mais completa em aminoácidos."
Outra fonte de fibras: existem outras fontes de fibra mais baratas no mercado do que o feijão, como o farelo de aveia. Ele pode ser acrescentado à comida de duas formas: como uma farofa, por cima do prato pronto, ou cozido junto com o arroz, por exemplo. "Se combinado com outra leguminosa, que será a fonte de proteína, é uma substituição completa e mais em conta", afirma Marchiori.
A necessidade do consumo diário do feijão é mais cultural do que biológica. Existem outras opções mais baratas, que têm o mesmo valor do ponto de vista nutricional.

Fonte UOL