Juíza suspende pesquisa eleitoral de Campina Grande


A juíza eleitoral Ana Amélia Alecrim Câmara, da 17ª Zona – Campina Grande – suspendeu uma pesquisa registrada na Justiça Eleitoral pelo Instituto Verita Ltda, supostamente encomendada por um dos pré-candidatos à prefeitura da Rainha da Borborema. A pesquisa seria divulgada nesta quinta-feira, 14.
Parte da imprensa havia denunciado e a sentença da magistrada disse ter encontrado "indisfarçáveis prejuízos para a transparência do processo eleitoral, ao inibir o controle a ser feito pelos legalmente legitimados"
A pesquisa, que estava registrada no sob TRE o nº PB 09295/2016, já não consta no portal daquela Corte.
O Instituto Verita Ltda é de Uberlândia, Minas Gerais. Nos questionários que apresentou à Justiça, para legitimar a pesquisa feita em Campina, em 15 dias, ouvindo 520 pessoas, foram encontradas informações desencontradas como nomes de candidatos que não disputarão as eleições e perguntas sobre problemas da cidade que poderiam servir para colher subsídios e embasar discurso e plano de trabalho do provável candidato contratante.
Entre outras inconsistências, o Instituto Verita aparecia junto ao TSE como contratado e contratante e ao mesmo tempo, sendo dele próprio a origem dos recursos que pagariam o seu trabalho.  



ParlamentoPB