O prato principal do brasileiro foi "pro espaço"

Com a economia  em frangalhos a mesa do brasileiro ficou escassa de alimentos. O prato principal tido como de característica e de preferência brasileira e principalmente  nordestina, cantada em prosas e versos tornando a referência alimentícia pelos conteúdos vitamínicos que ela oferece tende a sucumbir diante dos desmazelos administrativos que infelizmente o país atravessa. Os problemas não são apenas causados pelas condições climáticas. Se os governos antevissem e fizessem uma ação preventiva o povo não estaria passando por essa "humilhação", sabendo-se que nos  últimos anos o rigor das condições climáticas se estabelecem de norte a sul do país com chuvas e secas ao extremo. Já não bastasse o ocorrido com o feijão, agora o sul que é o maior produtor de arroz tem sua safra quebrada em mais de 15% e os aumentos do produto já iniciou desde junho com 5,21%  de acréscimo e de acordo com os analistas econômicos tende a continuar subindo. Sabendo-se das tendências as ações que minimizam a situação deveriam de ter sido antecipados pelo Governo Federal,
 como a importação do produto em quantidade a aplacar toda esta situação. O Governo diz que adquiriu a importação do feijão mas não deram tratamento de urgência que o caso merece e até o presente momento os dois produtos sucumbem diante desses absurdos.
Para o pobre dos nordestinos o arroz e feijão tornaram-se "mistura". Não existe mais a cesta básica !
Até quando ?
Jc