Com que autoridade?

Blog do Kennedy
O grande desafio de Temer é tirar do papel as promessas de austeridade. Temer está numa encruzilhada. Sua ascensão ao poder ocorreu porque Dilma não soube dar respostas às crises política e econômica. Se efetivado no cargo, terá de fazer uma escolha entre ceder ou enfrentar o histórico de irresponsabilidade fiscal do Congresso.
Até a semana que vem o Senado deverá tirar Dilma do poder sob a alegação de que ela cometeu um atentado fiscal contra a Constituição. No entanto, o presidente do Senado, Renan Calheiros, marcou para a semana seguinte a votação de uma farra fiscal, porque a elevação do salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal serve de teto para a remuneração de todo o funcionalismo. Tramita no Senado proposta para elevar o salário de um ministro do STF de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil.
Com que autoridade senadores que pretendem derrubar Dilma por ela ter sido irresponsável do ponto de vista fiscal podem agir do mesmo jeito uma semana depois? Em seguida, deputados e senadores vão pedir equiparação e assim por diante outras categorias o farão. Ou seja, os políticos querem dar uma pedalada salarial.
Renan falou que seria uma “mesquinhez” não dar esse reajuste. O impacto dessa “mesquinhez” pode alcançar R$ 5 bilhões. Será preciso distribuir óleo de peroba no Senado. Será muita cara de pau tirar Dilma numa semana e fazer uma farra fiscal na seguinte. Temer precisa ser firme em relação aos gastos públicos. O mercado já começa a duvidar da capacidade dele de entregar o ajuste. Desconfiança foi mortal para Dilma.