Dilma ataca Temer e Cunha e defende plebiscito para novas eleições


A presidente afastada Dilma Rousseff (PT) pretende divulgar carta em que manifesta apoio à convocação de plebiscito popular com objetivo de definir realização de novas eleições. A informação é da Folha de S. Paulo.
Na madrugada desta sexta-feira (5), o veículo divulgou que leu parte do documento preparado pela petista. "Que o povo se manifeste, não só através de pesquisas de opinião, mas por meio do voto sobre a antecipação das eleições e reforma política", exclamou Dilma, em entrevista à Folha.

Ainda na publicação, a presidente afastada voltou a defender que está sendo vítima de um golpe e que seu governo é legítimo. "Estão tratando o presidencialismo como se parlamentarismo fosse. O parlamentarismo permite o voto de desconfiança. No presidencialismo, o impeachment, sem crime, é golpe", afirmou.

A presidente ainda negou participação em esquema de caixa dois na campanha de 2010 e voltou a atacar Eduardo Cunha e Michel Temer: "O centro político se desloca para direita com Eduardo Cunha. Temer nunca controlou nada, é o Cunha".

Fonte Portal Correio