Mulher é presa acusada de fraudar negociações de imóveis na Grande João Pessoa


Cinco pessoas já foram presas devido a negociações fraudulentas de imóveis na Grande João Pessoa pela Polícia Civil da Paraíba só neste ano. A informação é da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) que prendeu uma falsa corretora de imóveis nesta segunda-feira (1º), que apontou uma cúmplice. Trata-se de Aglaene de Moura Farias, 34 anos, que foi autuada pelo exercício ilegal da profissão e responderá criminalmente por fraude.

De acordo com a DDF, pelo menos duas pessoas foram vítimas da falsa corretora que mora no Bairro Jardim Veneza, na Capital. Eles informaram que contrataram os serviços de Aglaene de Moura para intermediar o financiamento de imóveis e que a transação incluía o pagamento de aproximadamente R$ 10 mil. No entanto, após o pagamento, a suspeita desapareceu com os valores e as vítimas descobriram que tinham caído em um golpe.

Cúmplice – Em menos de uma semana, a equipe da DDF conseguiu identificar, localizar e deter Aglaene de Moura. A suspeita confessou parcialmente a conduta criminosa e indicou uma terceira pessoa – uma corretora de imóveis supostamente habilitada pelo Creci/PB.  A identificação dessa cúmplice de Aglaene de Moura nas operações fraudulentas está sendo mantida sob sigilo pela polícia neste momento, uma vez que poderá ser presa nos próximos dias.  Só neste ano, a Delegacia de Defraudações e Falsificações já prendeu cinco falsos corretores.

Segundo a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), nas negociações fraudulentas de imóveis, geralmente os suspeitos realizam toda a negociação utilizando-se de falsas promessas ou vantagens ou facilidades fora do comum, convencendo os clientes a repassarem parte dos valores negociados, a título de “reserva” ou garantia da negociação.

Golpe – No entanto, os suspeitos não apresentam identificação pessoal e se negam, na maioria das vezes, a formalizar as negociações através do devido contrato. Com isso, eles tentam dificultar a reparação dos danos causados pelo golpe, bem como inibir a adoção das medidas judiciais e policiais cabíveis.

Com isso, a DDF orienta a população que sempre verifique a documentação da pessoa responsável pela negociação (registro no Creci) e a documentação do imóvel negociado, sempre formalizando as negociações através do devido contrato, assinado por todas as partes, de maneira a facilitar a adoção das medidas cabíveis, em caso de descumprimento contratual.

As investigações da DDF serão direcionadas, ainda, para identificação de outras vítimas que possam ter sido lesadas pela suspeita, além de identificar e localizar outras pessoas que possam ter sido beneficiadas pelas fraudes praticadas, motivo pelo qual a suspeita poderá ser indiciada, ainda, por outras condutas criminosas no decorrer das investigações (ex. estelionato, associação criminosa). Quaisquer denúncias poderão ser encaminhadas à DDF pelo disque denúncia da Polícia Civil – tel. 197 (sigilo garantido).

ClickPB