Família paraibana é achada morta e esquartejada em província da Espanha


Um casal paraibano e seus dois filhos foram encontrados mortos na madrugada desse domingo (18), em uma casa na província espanhola de Guadalajara, distante 60 km da capital Madri. Segundo familiares das vítimas, o homem tinha 40 anos e a mulher, 39. O casal e a filha mais velha, de cinco anos, são naturais de João Pessoa; já o caçula, de um ano, teria nascido na Espanha. Familiares não souberam informar o que pode ter motivado o assassinato e já tratam questões legais e liberação dos corpos com Embaixada do Brasil no país europeu.

De acordo com o jornal espanhol El Pais, os corpos foram encontrados em sacos plásticos. O casal foi esquartejado e teve partes do corpo distribuídas em dois pacotes cada. As crianças não foram desmembradas. Autoridades espanholas acreditam que o crime tenha sido um ajuste de contas. A hipótese foi reforçada pelo presidente da Sociedade Espanhola de Perfis Criminais, Juan Francisco Alcaraz, em entrevista à Folha de S. Paulo.

O especialista acredita que o fato de que as crianças não foram esquartejadas passa a mensagem de que os assassinos queriam vingança apenas contra os pais. "Eles estão dizendo que os jovens eram inocentes e foram um dano colateral", disse Alcaraz, à publicação.

Ele também acredita que o crime foi praticado por uma grande organização criminosa. No entanto, até o momento, não existem indícios da participação do casal em esquemas ilícitos que fundamentem melhor esta tese. Ainda à Folha de S. Paulo, moradores do condomínio disseram que quase nunca encontravam a família nas ruas.

A casa onde os brasileiros foram achados estava quase vazia, o que, para o El País, indica que as vítimas fugiam de alguém. Pelo estado dos corpos, as autoridades espanholas acreditam que o crime tenha ocorrido há pelo menos um mês, segundo divulgado pelo jornal. Os corpos foram encontrados depois que um vizinho se queixou de mau cheiro vindo da casa. 

Com Portalcorreio