Mulher publica desabafo no Facebook após policial tentar prendê-la por amamentar em público


001
Savannah Shukla estava com a família num supermercado quando seu filho mais novo, um pequeno bebê de apenas 1 mês de idade, deu sinais de estar com fome. Como toda mãe, a mulher da Georgia, nos Estados Unidos, resolveu amamentar a criança. O que ela não esperava era que um policial ameaçasse prendê-la por fazê-lo.
Hoje à noite, enquanto eu estava no supermercado com a minha irmã e meus dois filhos, o mais velho de 20 meses de idade e o mais novo com apenas 1 mês de idade, fui abordada por um policial enquanto estava amamentando as crianças. Ele me informou que eu precisava me cobrir por que alguém poderia achar a exposição ‘ofensiva’“, escreveu a mulher no Facebook, numa mensagem que já foi compartilhada mais de 13 000 vezes em apenas um dia.
Eu disse a lei para ele, afirmando que no estado da Georgia eu posso amamentar onde eu achar mais confortável e que eu estava autorizada a estar ali. Ele então fica ainda mais frustrado e retruca: ‘Não senhora, este não é o caso nesta situação’. Eu continuo dizendo: ‘Não, eu conheço as leis’“, explicou a mulher, afirmando que a lei do estado americano permite que mulheres alimentam as crianças onde se sentirem mais confortáveis.
003
O policial, no entanto, ficou irritando com a resposta de Savannah: “‘Você ACHA que conhece as leis mas, se seu mamilo for exposto, eu realmente não quero prendê-la por ser ofensiva, e você não quer ser presa por este motivo. Esta situação não é como a primeira emenda, onde você pode dizer algo ofensivo’“, retrucou o policial para a mãe de duas crianças, ameaçando prendê-la.
Novamente repito o que a lei do estado da Georgia diz e digo que, se alguém acha o ato de amamentar ofensivo, então há algo de errado com essas pessoas. Ele me diz novamente que eu ‘acho’ que conheço a lei. Ele também disse que ‘já viu a minha aureola’ e que, se alguém visse o meu mamilo (mesmo se eu tentasse escondê-lo), ele teria que me prender e que ele ‘realmente não gostaria de me autuar’. Para ele ver a minha aureola, ele precisaria estar olhando com MUITA dedicação“, explicou a mulher. Confira o desabafo: 
05
Finalmente perdi a paciência e sai de perto dele, desejando uma boa noite. Na sequência, eu fui até o meu carro e fiquei chorando sobre o assunto, e eu continuo fazendo isso até agora. Eu gostaria de agradecer à assistente de advogados April, que me defendeu, tirou esta foto e pegou o nome do policial para mim“, revelou a mulher na mensagem, dizendo que foi ajudada por uma jovem que passava pelo local.
Savannah também afirmou que irá reportar o comportamento do homem para os superiores da corporação: “Estou tão chateada com esta situação e eu consigo entender por que este tipo de abuso acaba provocando que as mães parem de amamentar em público. Eu vou reportar o que aconteceu para os superiores deste oficial amanhã pela amanhã por que se ele fez isso comigo, ele definitivamente fará com mais alguém. E quem vai saber se ele já não o fez anteriormente?”, finalizou na mensagem.
002
O xerife da cidade, John T. Darr, soube do incidente após o desabafo da mãe no Facebook, e usou a rede social para se pronunciar sobre o caso: “Eu entendo completamente e aprecio o direito da mulher de alimentar seu bebê onde se sentir mais confortável. Essa também é a lei do estado da Georgia“, explicou o oficial. Ele também se desculpou pelo comportamento do policial. “Nosso departamento não consente com essas atitudes e vai se certificar de que todos os policiais conheçam e entendam a lei“, explicou.
Créditos: VEJA SP

Compartilhe esta notícia