Polícia Militar usa cães farejadores para o combate de crimes na Paraíba


A Polícia Militar intensificou o uso dos cães farejadores do Batalhão de Operações Especiais (Bope) nas ações de segurança realizadas em todo Estado. O objetivo é interceptar o transporte de armas, drogas e até explosivos utilizados em ações contra bancos. As raças empregadas para este tipo de serviço são pastor malinois, labrador e pastor de trabalho.
Nessa terça-feira (30), o canil do Batalhão de Operações Especiais (Bope) participou de um bloqueio com a Polícia Rodoviária Federal, na cidade de Bayeux, para abordar três carros com placas do Estado de Goiás, que estavam chegando à cidade de João Pessoa.
Os três motoristas já tinham passagem pela polícia: Um por ter sido preso com 900 kg de maconha, outro com 100 kg da mesma droga e o terceiro por assalto – crimes cometidos no passado em Goiás. Um dos abordados, inclusive, foi preso também no ano passado, na fronteira do Brasil com o Paraguai. Apesar da suspeita, eles não estavam com nenhum material ilícito e nem com mandados de prisão em aberto. O trio contou aos policiais que veio passar férias com a família na Paraíba.
As ações com cães na Polícia Militar ganharam um reforço em janeiro de 2015, quando a corporação recebeu do Governo do Estado 14 novos filhotes. Os animais passaram por mais de um ano e meio de treinamento e já estão auxiliando nas ações contra o tráfico de drogas, busca de pessoas, objetos e policiamento em praças desportivas. Os novos cães foram condicionados também para localizar celulares em presídios.
Apoio a outros órgãos – Além das ações diárias do Canil para apoiar os Batalhões da Polícia Militar, os cães farejadores estão atuando também em parceria com outros órgãos de segurança que atuam na Paraíba, a exemplo da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil.

Fonte Secom-PB