‘Recebi orientações do ministro Padilha para ficar de fora da Lava Jato’, revela ex-chefe da AGU


Fábio Medina
Em novas declarações após ter sido demitido da Advocacia Geral da União, na última sexta-feira 9, o ex-ministro Fábio Medina Osório diz ter recebido orientações claras de Eliseu Padilha, da Casa Civil, para ficar de fora da Lava Jato.
"Recebi orientações do ministro Padilha para não atuar nessa questão da Lava-Jato. Para ficar de fora dessas questões", declarou à jornalista Bárbara Nascimento, do Globo (leia aqui).
Antes, ele falou à revista Veja, quando confirmou a tese do senador Romero Jucá, ex-ministro de Temer, de que o atual governo quer "abafar a Lava Jato". "[O governo] tem muito receio de até onde a Lava Jato pode chegar", declarou.
Osório acusa a nova ministra da AGU, nomeada para ficar em seu lugar, Grace Mendonça, de compactuar com Padilha para atrapalhar a atuação do órgão na investigação sobre o esquema da Petrobras.
"Grace é uma advogada da União respeitada no STF. Tem excelente qualidades técnicas, mas fez o jogo do Padilha", disse.
Ele afirma ainda que Padilha atuou para desconstruir sua reputação, a fim de que ele ficasse queimado.
"Desde o primeiro momento, depois do ajuizamento da ação, se buscou uma desconstrução moral e da imagem, com falsas notícias a meu respeito. Citam que fiquei deslumbrado com o cargo, o sujeito surtou. Criaram um conjunto da obra falso", disse.
247