Tite admite satisfação, mas evita euforia


Os sorrisos evidenciavam: Tite estava feliz com as atuações da seleção brasileira nas vitórias sobre Equador e Colômbia que colocaram o time na segunda colocação das Eliminatórias para a Copa de 2018. Já na madrugada desta quarta-feira, após a vitória por 2 a 1 sobre os colombianos na Arena da Amazônia, em Manaus, o treinador admitiu satisfação com o desempenho da equipe, mas tentou evitar euforia.

“A experiência e o tempo me dão um pouco o jeito de controlar a adrenalina e manter a razão. Talvez porque eu procuro me equilibrar, porque é um peso muito grande dirigir a seleção. Posso dizer que foi acima do que eu imaginava. O desempenho e o resultado foram acima do que eu esperava”, afirmou o treinador.

Tite disse que a equipe ainda não encontrou uma forma de jogar. “O time está em um processo de evolução. Estamos vendo flutuação, jogadas pelos lados e procuramos opções como hoje. Coutinho entrou bem, Giuliano entrou bem”, comemorou o treinador.

Apesar da satisfação, o técnico experimentou alguns minutos de impaciência na Arena da Amazônia. O Brasil empolgou o público ao abrir o placar logo no princípio da partida contra a Colômbia, em uma cabeçada do zagueiro Miranda, mas passou a enfrentar dificuldades para encontrar espaços depois que o também defensor Marquinhos, contra, empatou o marcador.

“É um pouquinho da nossa cultura, mas eu falava para os torcedores terem calma”, sorriu Tite, que ouviu até gritos de “olé” a partir do gol do atacante Neymar. “Se a empolgação vem do torcedor, é justa. Da imprensa, não. A imprensa tem que ser criteriosa em cima do desenvolvimento do trabalho”, controlou-se novamente Tite, antes de se deixar levar pela atuação em Manaus.

“A seleção merece elogios, sim. Até o momento do gol de empate, só uma equipe jogou. Depois, o jogo ficou equilibrado. Precisamos ter um nível de concentração muito grande para vencer.”


Veja.com