Eita, mundiça!

Tião Lucena

Na Paraíba a campanha política somente se encerra com o cantar do galo e assim mesmo ainda aparecem almas penadas tentando matar o galo e comer a cabidela. O Estado enfrenta uma crise, todos sabemos, mas os políticos que fazem oposição ao Governo do Estado não estão nem aí para isso, querem que tudo se lasque, se acabe e se dane, desde que a danação, a lascadura e o extermínio sejam transformados em dividendos eleitorais para eles.
A raiva é grande, o ódio é enorme, a inveja é imensa e a ciumeira é de doer.
Dia desses, pediram ao ministro das cidades para retirar do banco o dinheiro que havia sido depositado para pagamento das obras do Viaduto do Geisel. O ministro obedeceu, depois de uma noite de intenso forró em Campina Grande, não teve como resistir. Retirou o dinheiro e as obras somente continuaram porque o governador ficou a pagar as despesas com o dinheiro do Estado.
Agora, os mesmos políticos que pediram ao ministro para retirar o dinheiro, chamam ele para tirar retrato diante da obra que, se dependesse dele ou deles, estaria parada.
É rinha de galo, briga de gente ciumenta que já teve oportunidade de fazer, não fez e não aceita que outros façam.
Um deputado ironizou hoje a iniciativa do governador em pedir audiência ao presidente, como se o presidente, em vez de chefe da nação, fosse o representante político da claque que aqui labuta.
Pense numa mundiça, num povinho sem formação, num grupo de mal amados e mal resolvidos!