Mercadante: campanha de Temer é ilegal e prega ódio na sociedade


Mercadante_campanha nazista de temer
O ex-ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, avalia que a campanha publicitária do governo Michel Temer, que prega "tirar o país do vermelho", tem viés eleitoral, em pleno segundo turno das eleições municipais, e também usa recursos públicos para estimular o ódio na sociedade, o que contraria princípios da publicidade oficial.
Leia, abaixo, nota do ex-ministro:
O presidente deste governo golpista lança uma campanha do ódio contra o PT e demais partidos de esquerda, com o slogan de duplo sentido: "vamos tirar o país do vermelho". Por não ter a legitimidade do voto popular, Temer aposta em propaganda de ataque à esquerda com flagrante viés eleitoral, com foco no segundo turno das eleições municipais, e para tentar reverter resultado de recente pesquisa de opinião, segundo a qual 39% da população brasileira considera seu governo ruim ou péssimo e 55% desaprovam a forma dos golpistas governarem.
Além disso, essa ação é um flagrante desrespeito ao pressuposto republicano do uso da publicidade pública para prestação de contas ou para prestação de serviços para a sociedade. Juridicamente afronta toda a legislação que regula a publicidade oficial .
É este país que os golpistas estão construindo. O país do “nós contra eles”, o país do quanto pior melhor, o país que retoma uma agenda neoliberal derrotada em quatro eleições presidenciais. O mais grave é utilizar uma campanha rebaixada para tentar ofuscar o brutal retrocesso da educação e da saúde pública, especialmente com a PEC 241.
O governo ilegítimo só se esquece que uma campanha publicitária nunca será capaz de lhe dar o que apenas o voto popular pode conceber: legitimidade para governar e para representar o país.
Não é uma campanha de ódio, que pretende retirar os pobres do orçamento e reduzir direitos previdenciários e sociais, que irá mudar a opinião de 68% da população que diz não confiar no presidente golpista".
Aloizio Mercadante